• Home
  • Cães
  • Você sabia que cientistas criaram músicas para gatos?

Você sabia que cientistas criaram músicas para gatos?

png
Você-sabia-que-cientistas-criaram-músicas-para-gatos

A música é uma ótima maneira de aliviar o estresse e melhorar o humor, tanto para humanos, quanto para os gatos.

É isso que diz a teoria criada pelo psicólogo Charles Snowdon, um psicólogo que trabalha na Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos.

Como veremos ao longo do artigo, assim como nós, humanos, temos nossas preferências por músicas que tenham características específicas, o mesmo vale para os felinos. Por isso, foram criadas uma série de faixas específicas para alegrar o dia dos nossos gatinhos.

Confira a seguir mais sobre essa curiosa teoria sobre música para gatos. Caso você queira ouvir o resultado final das músicas, também vamos colocar um link no final do texto.

Boa leitura!

Música para gatos: o que há por trás da teoria?

O propósito da teoria criada por Snowdon é tentar provar que outras espécies também podem gostar de música e aproveitá-la.

A ideia surgiu de um hábito muito comum de donos de gatos, que é o de deixar a música ligada quando sai de casa para acalmar o bichinho. Ao ouvir amigos e conhecidos relatando a prática, ele decidiu testá-la.

E quais foram os resultados?

O que Snowdon e sua equipe perceberam, depois de testar a hipótese várias vezes, é que sim, os gatos gostam e respondem a música assim como os humanos.

Entretanto, não se trata exatamente de qualquer tipo de música. Na verdade, os gatos respondem mais e melhor a um tipo de música criado exatamente para eles, que converse com a sua realidade enquanto felinos.

No estudo, as músicas que tiveram maior resposta entre os felinos eram aquelas que imitavam as frequências que os bichanos usam para se comunicar, que imitavam a frequência de sons muito comuns a eles e que tivessem andamentos que eles utilizam.

Por causa disso, Snowdon e sua equipe se empenharam na tarefa de criar música a partir da “imitação” de sons naturais das vidas dos gatos.

Por isso, as músicas são todas meio agudas, com um andamento diferente, que é baseado em ações como o aleitamento e o ronronar dos gatinhos.

No estudo, um total de 47 gatos foram expostos às músicas e eles se mostraram bastante atentos a elas, chegando ao ponto de ir atrás da caixa de som e ficar se esfregando nela.

Ou seja, esse é um sinal de que os felinos gostaram bastante da música a que foram expostos, o que pode ajudar a diminuir o estresse do dia a dia nesses animais.

Na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a  equipe da Dra. Fernanda Amorim (UFRS), avaliou recentemente a musicoterapia em felinos hospitalizados e observou que houve diminuição significativa do stress em animais com música ambiente.

Exemplos de músicas para gatos

Confira a seguir alguns exemplos das músicas feitas para os felinos neste estudo e algumas reações fofas dos gatinhos quando expostos a ela a seguir:

Bônus: sinais de que seu gato pode estar estressado

Os gatos demonstram sinais de estresse de várias formas diferentes, que vão desde problemas de pele até outros, gastrointestinais.

Apesar da música ser uma forma de ajudar os bichanos a desestressar, você deve ficar sempre muito atento aos sinais de estresse e, sempre que necessário, deve levar o seu pet para um veterinário.

Por isso, confira a seguir alguns sinais de que o seu gato pode estar estressado:

– Receio de usar a caixa de areia: quando estão estressados, os gatos podem apresentar receio de ir até a caixa de areia para fazer suas necessidades;

– Urinar ou defecar fora da caixa: outro sinal bastante comum de estresse é se o gato começar a urinar ou defecar fora da caixa de areia ou em um lugar diferente do seu banheiro convencional;

– Diminuição de apetite: gatos estressados podem ou deixar de comer ou comer significativamente menos;

– Isolamento: quando os gatos começam a se isolar mais do que o usual, revelando desinteresse ou indiferença a tudo, este é um sinal de que o animal pode estar sofrendo com os sintomas do estresse;

– Agressividade: este é outro sintoma bem comum de estresse em gatos. Quando estressados, os bichanos podem se tornar mais agressivos, tanto com os humanos da casa, como com outros animais;

– Se lamber excessivamente: gatos são naturalmente muito higiênicos e costumam se lavar com bastante frequência. Contudo, quando esse comportamento é excessivo, isso pode ser um grande indício de que o gato está estressado;

– Coceira excessiva: assim como o ato de se lamber excessivamente, se coçar demais pode ser um sinal de estresse ou pode causar alergias e doenças de pele nos gatos;

– Miar em excesso: caso seu gato esteja miando excessivamente, esse talvez seja um sinal de estresse. Quando estão estressados, o miar dos gatos, além de excessivo, também é mais longo e prolongado;

– Problemas no sistema digestivo e urinário: vômito, diarreia e obstipação também são indicativos de que o bichano está sofrendo com estresse.

Esses são alguns dos sinais que os gatos costumam dar quando estão passando por momentos de estresse elevado.

Contudo, esses sinais também podem ser relativos a outros problemas de saúde e, por isso, a avaliação e recomendações do médico veterinário são essenciais.

O cuidado nunca é demais quando estamos falando da saúde dos nossos pets.

E nos momentos de necessidade, lembre-se da Clinivet! Estamos há mais de 30 anos no mercado cuidando da saúde do seu melhor amigo!

Leave A Comment

× WhatsApp